04.12/2018 | Murillo Costa
O que escritor brasileiro precisa saber

O que o escritor brasileiro precisa saber e onde encontrar

Há poucos dias publiquei o artigo Seu livro é arte ou produto de mercado?, onde colocamos a verdade na balança e entendemos seu peso. Enxergar os livros apenas como arte não vai fazer com que você viva de literatura. O ruim foi ver que grande parte dos escritores brasileiros discordam desse fato. Consequentemente, não conseguem amadurecer nem sua escrita, nem seu profissionalismo.

O primeiro passo para o escritor brasileiro crescer é ser gentil com os colegas de ofício. Por isso, compartilhe esse artigo com seus amigos escritores e ajude-os também. Os botões para isso estão no final da página. Se quiser conhecer meu livro depois, é só clicar nessa fachada linda do site. Obrigado!

Se você é um escritor brasileiro inciante que quer evoluir, saiba agora o quais as primeiras necessidades a serem cumpridas!

O escritor brasileiro precisa entender quem ele mesmo é

Seu livro nada mais é do que seu modo de ver as coisas esboçado em palavras que constroem uma narrativa. Como fazer isso sem saber quem você é? Impossível. Talvez você escreva desde pequeno – como é o caso da maioria do escritores. Compare o que escrevia aos 11 anos com o que você escreve agora. Talvez bata aquela vergonha o você se pergunte “o que eu estava fazendo?”.

Isso acontece porque você cresceu e tem uma visão madura quanto ao mundo e quanto a si mesmo. Como resultado, sua escrita evoluiu para algo envolvente, que não soa infantil e inexperiente para o leitor. Por isso, quanto mais você souber quem você é, melhor se sairá na escrita.

Mas tome cuidado! Seu livro não é lugar para pregar o que você acredita. O autor de ficção nunca deve aparecer na história. Quem deve brilhar são seus personagens e a opinião do autor jamais deve ficar escrachadamente perceptível ao leitor. Ele não quer ler um discurso seu.

Escritor brasileiro, saiba quem você é, mas não transforme seus personagens em você.

Um segundo passo nessa jornada de autoconhecimento é saber qual gênero você tem mais habilidade em escrever. Eu, por exemplo, me saio muito melhor em distopias. Eu queria muito conseguir escrever um livro de temática contemporânea, como 13 Segundos, de Bel Rodrigues. Mas sei que não tenho aptidão suficiente.

Pensando nisso, escritor iniciante, qual o gênero em que se sai melhor? Apegue-se a ele, estude sua estrutura, conheça os melhores autores e entenda porque são bons. Por fim, aplique isso a você e a seu trabalho.

Não tenha medo de ser escritor de um só gênero. Você ousaria dizer que Margaret Atwood é uma escritora ruim só porque sua especialidade é distopia? Ousaria?!

O escritor iniciante precisa entender o mercado

Sim, o mercado é difícil para o escritor brasileiro inciante. E sim, é muito complicado fazer sucesso nele. Porém, não é impossível e a internet pode facilitar muito as coisas.

O melhor lugar para conhecer e acompanhar o mercado literário brasileiro é o site Publish News. Todo escritor brasileiro devia consultar o site, todos os dias.

O mercado literário tradicional se concentra nas mãos das grandes editoras. Elas colocam e retiram do sucesso quem elas quiserem. E, na maior parte do tempo, lotam as prateleiras das livrarias com autores estrangeiros. Aliás, as livrarias em si parecem caminhar para uma extinção nacional.

Então, surge a questão: compensa publicar por editoras? Não. Não se você é um autor brasileiro inciante e não tem (muito!) dinheiro para investir. Já conversamos sobre isso nesse artigo.

Os novos autores precisam se concentrar em formar uma imagemuma marca – e uma base de leitores fiéis. Um dos melhores modos disso acontecer é por meio da publicação independente. Expor o seu trabalho – muitas vezes de graça – para o público, por sua própria conta, pode ser o melhor caminho a ser seguido.

O Wattpad é uma ferramenta poderosíssima para se conseguir leitores. Lá existem livros com mais de 1 milhão de leituras. Consegue entender o impacto disso no mercado literário? Quando os autores desses livros lançarem um volume com algum preço de capa, já existirão milhares de pessoas que conhecem o trabalho e estarão prontas para pagar para ler.

O mercado literário da publicação independente é a melhor opção para o escritores brasileiros iniciantes. Ele nasce no Wattpad, passa pelas redes sociais e, quando chega na Amazon ou Clube de Autores com um bom número de leitores, dá muito mais lucro do que uma editora tradicional.

E por falar em redes sociais, os escritores iniciantes precisam saber usá-las.

Escritor iniciante, saiba se comunicar com seu público

Em algum artigo passado, já disse que pessoas compram pessoas. Por isso, mas uma vez, reforço a necessidade do autor criar a sua imagem, sua marca. Da mesma forma, ele precisa encarar seu livro como um produto que conversa com um certo público.

E sim, quando falo de marca, quero dizer algo como Microsoft, Apple, Instagram. O escritor brasileiro deve entender que sua escrita é uma forma de negócio – isso se ele quiser viver dela.

Graças à internet, criar uma marca é bem mais fácil. Não é necessário ter um espaço físico, uma série de processos burocráticos e um investimento pesado. Você pode começar investindo apenas tempo para criar conteúdo em alguma rede social onde seus prospectivos leitores estão.

Não fale o tempo todo de seu trabalho. Fale do mundo literário e vez por outra cite o que você faz. Pessoas não gostam de propaganda de produtos. Pessoas gostam de pessoas.

E, pensando em todo esse processo de formação de marca e estratégias de conteúdo para cativar pessoas, é com muito prazer que anuncio que estou produzindo um livro sobre Marketing de Conteúdo para escritores brasileiros iniciantes! Ele será lançado dia 17 de dezembro e será um guia para você construir uma marca na internet e encontrar pessoas que se identificam com seu trabalho.

Desse modo, com uma boa comunicação, sabendo quem você é, qual tipo de gênero escreve melhor e contando com uma ajudinha de quem já tem experiência em Marketing de Conteúdo, você conseguirá se posicionar bem no mercado literário brasileiro.

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e locutor do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Webdesigner por formação, procuro compartilhar meus conhecimentos em Marketing Digital com outros escritores para que possamos formar juntos nossas carreiras.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!