26.11/2018 | Murillo Costa
Vida universitária Saga Filhos do Tempo

Quando a vida de universitário fica realmente interessante

Sair do Ensino Médio pensando que a vida de universitário é a melhor do mundo é um dos maiores enganos cometidos pela humanidade. O sonho da liberdade, de estudar só o que gosta, se vai quando você percebe que também precisará ser adulto.

Universitário ou não, lembre-se de compartilhar esse artigo com seus amigos! Os botões para isso estão no final do post. Obrigado!

Talvez a primeira decepção seja saber que, mesmo no curso que você sempre sonhou e que ama, existem matérias que você odeia. É nesse momento que a vida de universitário te desmente o “estou louco pra chegar na faculdade e estudar só o que eu gosto!”.

Depois vem a liberdade… ou a falta dela. Mais uma vez, a vida de universitário lhe ensina algo valioso: essa “liberdade” é escrava do dinheiro. E como ter dinheiro se ele vai todo para o xerox do material da faculdade? O pouco que sobra é obrigatoriamente desviado para cobrir o macarrão instantâneo que te sustenta antes das aulas.

E a liberdade de dormir? Quer mesmo falar sobre isso? Não? Eu entendo.

A vida de universitário mudada para sempre

Qual a probabilidade de, aleatoriamente, entrar na sua sala uma moça – ou rapaz – tão bonita – ou bonito – que atrai a atenção de todos, parando a aula? E as chances de essa pessoa de beleza arrebatadora se envolver com você para ter levar para o planeta natal dela?

Sim, nenhuma. Mas isso é o que acontece na vida universitária de Nícolas, protagonista da saga literária Os Filhos do Tempo. Enquanto seus colegas de sala se preocupam com a faculdade, amigos e relacionamentos, ele prefere pensar nas estrelas e no seu sonho de chegar até elas – e por isso é motivo de zoação.

Vida universitária Filhos do Tempo Chaiene Santos

Para alcançar seus objetivos, Nícolas ingressa no curso de Física da Universidade da Califórnia, em Los Ângeles, cidade onde mora.

Em uma manhã, enquanto o novo professor de Cosmologia é apresentado, uma jovem novata entra na sala, arrancando todos os olhares para si. Ela é alta e ruiva, olhos azuis e “um corpo escultural, como se fosse feito por algum grande mestre renascentista”.

Nícolas perde a voz e a compostura quando a garota, trocando olhares com ele, se senta ao lado dele. Seu nome é Zara. Ele não faz ideia de que ela veio de uma galáxia distante, desconhecida, e tem por missão atrair e levar Nícolas para o planeta de ela onde veio.

Da missão de Zara dependem seu futuro e o da própria humanidade. Não se engane. Filhos do Tempo não é um romance jovem.

Filhos do Tempo é uma saga brasileira com 1 milhão de leitores

Chaiene Santos é um autor independente que conquistou o Wattpadd com a saga Filhos do Tempo. Nícolas e sua vida universitária totalmente transformada já têm mais de um milhão e meio de leitores na plataforma.

Em Filhos do Tempo, o autor uniu teorias científicas sobre o futuro da humanidade com fendas temporais, telecinética e relatividade. Ao contrário de seres verdes e cabeçudos, os aliens de Chaiene são muito mais parecidos conosco do que fomos ensinados a pensar.

Uma das coisas que gostei em Filhos do Tempo é a velocidade em que o romance entre Zara e Nícolas acontece. Por ser rápido, fica claro que o foco da narrativa é a ação e aventura, com uma trama de ficção científica bem construída e embasada.

O que me incomodou foi o uso de palavras rebuscadas nos diálogos, como “porém” e “pois” e algumas frases do narrador que o fazem de impessoal para pessoal demais. Mas nada que atrapalhe a leitura a ponto de torná-la desagradável.

Dados técnicos de Filhos do Tempo


E se você gostou dessa indicação, vai gostar também do meu livro, Os Renegados, que também conversa com a vida universitária, mas com uma pequena diferença de se passar em uma escola de sobrevivência que mata quem não consegue passar de ano. Leia aqui, gratuitamente.

No Banner to display

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e host do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Estudante contínuo de empreendedorismo e marketing digital, procuro compartilhar conhecimento através do meu trabalho.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!