4 elementos do suspense para acelerar o coração do leitor

elementos do suspense para seu livro

Qual seu livro de suspense favorito e o que você aprendeu com ele? Já parou para pensar nos elementos do suspense que ele esconde? A melhor escola para os escritores é a leitura de outros livros – principalmente dos grandes destaques do gênero literário que você gosta de escrever.

O suspense e o thriller são, de longe, meus tipos favoritos de histórias. Aprendi muito com David Baldacci, Dan Brown e, mais recentemente, Josh Malerman. Os elementos do suspense que eles usam para colocar o leitor num clima tenso e sacudir as emoções deles é uma arte que dominam muito bem.

4 elementos do suspense para colocar na sua história

A ação-chave para se criar um ambiente de suspense é “atormentar”. Os personagens devem sofrer uma série de eventos para ficarem psicologicamente abalados e, por fim, entrarem em um clímax de resoluções e consequências que levarão o leitor ao delírio.

Lembre-se de compartilhar esse artigo com seus amigos escritores. Os botões para redes sociais estão logo no final dessa página. E se você quiser mais dicas de como escrever seu livro, assine nosso conteúdo e receba-o em seu e-mail.

1. O que não se pode ver

O primeiro desses elementos do suspense é usar “o que não se pode ver” para atormentar seus personagens e criar uma tensão e expectativa no leitor. Isso gera um sentimento de ansiedade pelo desfecho da cena, a procura por um alívio.

Dan Brown use esse elemento de suspense de maneira bem inovadora em seu livro Inferno. O thriller começa com Robert Langdom acordando de um coma na cama de um hospital em Florença, Itália. Robert mora nos Estados Unidos e a última coisa da qual se lembra é de um congresso em Harvard, há meio mundo de distância de onde está.

O que Robert “não pode ver” é algo imaterial: suas últimas memórias, as quais guardam o mistério de como ele foi parar em Florença, em um hospital, após ter levado um tiro na cabeça. O suspense tem origem a partir daí e é complementado pelo que acontece em seguida: uma mulher entra atirando no hospital, em busca de Langdom, o qual tem de fugir ainda anestesiado para salvar sua vida.

Josh Malerman usa esse elemento com maestria em Caixa de Pássaros. No livro, nosso mundo foi infestado por criatura misteriosas que provocam suicídio em qualquer um que as veja. Para sobreviver, os personagens precisam se livrar de um dos nossos cinco sentidos: a visão. Eles fazem isso por amarrar faixas aos olhos sempre que precisam ir ao ar livre. A vida de todos passa a ser em sua própria escuridão.

Em Caixa de Pássaros, o tormento e o suspense vêm do fato de os personagens não poderem descobrir o que os espera do lado de fora, de além de seus olhos. O clima de tensão é intensificado pelo ótima narração do escritor de sons, cheiros e sensações que os personagens sentem.

2. O que não se pode ouvir

Acompanhando a ideia de interferir nos sentidos humanos para causar tensão, “não ouvir” também é um dos poderosos elementos do suspense. Esse recurso pode ser usado para atormentar personagens com deficiência auditiva, como no filme Hush – A Morte Ouve.

No filme, Maddie perdeu a audição quando tinha 13 anos. Já adulta, mora sozinha em uma casa isolada, é escritora e está terminando seu romance quando passa a ser atormentada pela presença de um assassino mascarado em sua casa.

Como ela não pode ouvi-lo, ele entra e sai da casa quando quer, enviando para Maddie fotos dela mesma enquanto tenta fugir dele.

Mas esse não é um elemento exclusivo para tramas com pessoas surdas. Josh Malerman, em Piano Vermelho, criou uma trama de suspense e terror baseada no elemento “não se pode ouvir”. No livro, uma misteriosa frequência sonora tem poder mortal.

3. O que se pode ver

Entregar o motivo do suspense diretamente para os sentidos humanos tem um impacto tão grande quanto mantê-lo na escuridão. Quando o personagem vê o que o atormenta – e, consequentemente, o leitor também vê – o estado de tensão se intensifica para a ansiedade da fuga.

Dente os elementos do suspense aqui, esse é o que mais pode chocar o leitor com um efeito imediato.

Foi assim que David Baldacci construiu seu suspense policial Poder Absoluto. Nele, Luther é um assaltantes de ricos que decide fazer seu último crime roubando uma imponente mansão cujos donos saíram de férias. Durante o crime, ele ouve um barulho e pessoas entram na casa: a esposa do dono e seu amante.

Nesse momento, Luther está pegando o que pode em um compartimento secreto no guarda-roupa do quarto do casal – o lugar para onde a mulher vai com o homem. Luther fecha a porta do compartimento e se esconde, mas percebe que a porta de vidro lhe permite ver tudo o que acontece dentro do quarto, mas não o contrário.

Ele fica imóvel e mal respira quando a dona da casa entra com seu amante: o presidente dos Estados Unidos (não é spoiler, está na sinopse do livro). Luther entra em estado catatônico quando vê o presidente agredindo a mulher com um murro que lhe arrebenta o nariz. Em seguida, os agentes do FBI entram no quarto e terminam da matar a vítima.

Esse elemento de suspense usado por David Baldacci mostra que quando o personagem vê a fonte de seu medo, o pânico será ainda maior se essa fonte for tão ameaçadora quanto promete. O leitor cria a sensação de que nada que o protagonista faça será o suficiente para ele escapar de sua ameaça. Aliás, se você gostou da premissa do livro, pode ouvir minha resenha dele clicando aqui.

4. O que se pode ouvir

Muito semelhante ao anterior, esse elemento do suspense pode criar um quadro mental aterrorizante na mente do leitor. Mais uma vez, vamos recorrer a Caixa de Pássaros, de Josh Malerman.

Os personagens do suspense não podem enxergar nada a seu redor, então precisam ouvir com precisão sobre-humana o que se passa em torno deles. A linguagem descritiva de Josh faz com que até o som tão natural da água se torne assustador para seus personagens – e para os leitores também.

Existem momentos na trama que ouvir o simples canto de pássaros gera pânico no leitor, enchendo-o de ansiedade e suspense.

Pense também nos sons que você ouve quando está sozinho em casa. Uma torneira pingando já dispara o coração da maioria. Minha dica é: pare e preste atenção ao que você escuta. Feche os olhos e entenda como esses sons podem ser atormentadores dento de um contexto coerente.

Quer escrever um bom suspense? Seja criativo em usar e combinar esses quatro elementos do suspense e busque por referências entre os grandes sucessos do gênero. Cuidado com o que está atrás de você, agora.


Gostou das minhas ideias? Então você vai gostar também de Os Renegados, meu primeiro livro, já disponível.

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e locutor do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Webdesigner por formação, procuro compartilhar meus conhecimentos em Marketing Digital com outros escritores para que possamos formar juntos nossas carreiras.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!