22.10/2018 | Murillo Costa
O que é Big Data

Big Data, seu comportamento na rede e a manipulação da sua mente

O que é Big Data? Como Big Data afeta sua vida todos os dias, principalmente na internet? O livro indicado dessa semana é a graphic novel brasileira Periferia Cyberpunk, uma incrível distopia futurista em forma de quadrinhos!

Claro, antes de continuar, lembre-se de dar aquela moral para o Central Autoria e compartilhar esse post com seus amigos. Os botões para isso estão logo no final desse artigo. Obrigado.

O que é Big Data e como influencia você

Big Data é o grande volume de informações descarregado a todo instante na internet, principalmente se referindo a dados sobre pessoas individuais, como postagens em redes sociais, geolocalização e registros de navegação online. Toda essa montanha de informação não classificada e não estruturada é o que chamamos de Big Data.

A todo instante, milhões de pessoas postam uma selfie de banheiro com espelho sujo no Instagram, tweetam aquela indireta boa, fazem o textão político no Facebook, curtem, comentam e compartilham tudo isso. Toda essa montanha de dados registram o comportamento dos usuários de internet de todo o mundo, traçando o perfil de cada um deles. Essas informações são preciosíssimas para empresas e governos que querem saber como o seus clientes e cidadãos agem e pensam.

Como essas informações são analisadas? A princípio, as informações de Big Data só podem ser analisadas e categorizadas por humanos, uma vez que eles precisam entendê-las para classificá-las como isso ou aquilo. A partir daí, esses dados passam a ser organizados e chamados de estruturados. Programas de computadores, como Excel, podem “entendê-los” e trabalhar com eles.

Com os dados estruturados, algorítimos são capazes de definir – com muita precisão – o padrão de comportamento dos internautas. Você é um internauta? Parabéns, pessoas poderosas e grandes empresas sabem, nesse momento, de qual rede social você mais gosta, onde passa mais tempo na internet, qual sua banda ou cantor favorito. Vamos além? Eles sabem quem você é, quais os termos que pesquisa na aba anônima, qual sua posição política, em qual cômodo da sua casa você passa mais tempo. Através dos seus posts e escolhas em redes sociais, sabem como você pensa.

Big Data é tão maravilhoso quanto aterrorizador. Pense no seu segredo mais bem guardado. Está mesmo bem guardado?

Como Big Data é usado para manipular você? Até onde, comprovadamente, podemos dizer, esses registros são usados para aprimorar ações de marketing. Já percebeu que anúncios em redes sociais sempre têm a ver com os seus assuntos preferidos? Ou como a Amazon te indica livros relacionados ao que você procura por si mesmo no site?

O YouTube é um dos melhores exemplos. Ao assistir um vídeo com um determinado assunto, outros relacionados aparecem como sugestão na barra lateral e na página inicial do site. Quando você percebe, já passou vários minutos consumindo vídeos que nem sabia que existiam.

Opa? Mencionamos a palavra “consumindo”? Com relação ao uso do Big Data em marketing, essa é a chave. Os algorítimos manipulam você para que consuma conteúdo e produtos o tempo todo, sempre ligado em novidades e novos assuntos relacionados a seu tipo de perfil.

Como governos usam o Big Data para manipular seus cidadãos

É aqui que a divisão entre realidade e ficção se torna tênue. Ao entendermos o conceito de Big Data e pensarmos em “governo”, já imaginamos manipulação de eleições, opressão e controle dogmático da população. Não podemos afirmar até onde isso é realidade, ou mesmo se é realidade.

O que podemos comprovar é que governos têm usado Big Data para o “bem” social. Durante a epidemia de gripe suína, uma grande corporação de telefonia usou os dados da rede de celulares para entender como as pessoas se deslocavam pelo território contaminado, contribuindo para o progresso da epidemia. Isso ajudou o governo a elaborar ações táticas para impedir o avanço do vírus.

Sob um ponto de vista mais pensador e filosófico, Big Data – ironicamente – pode se tornar mais importante que a própria humanidade, mesmo que esse dependa dos humanos para existir. A manipulação acontece quando humanos perdem a vida em longas jornadas de trabalho, ganhando pouco e gastando seu dinheiro na compra de coisas que não precisam, mas que são impostas pelos algorítimos como “bens que trazem felicidade”.

Essa é a pegada de Periferia Cyberpunk, uma graphic novel brasileira que conta a história de um Brasil distópico, onde os cidadãos estão afogados no Big Data, escravos de redes sociais e uma vida consumista rasa e vazia.

Periferia Cyberpunk Editora Draco

Em meio a megacorporações que controlam governos corruptos e desigualdade social que mistura violência e alienação em comprimidos sintéticos,  formou-se uma célula terrorista para sabotar o sistema.”

Por ser um livro em história em quadrinhos, Periferia Cyberpunk tem uma dinâmica de leitura muito boa, com desenhos em preto e branco que dão um estilo noir bem interessante. Ele é publicado pela editora Draco, avaliado em 4 estrelas na Amazon e tem 176 páginas.

Periferia Cyberpunk foi escritor por Raphael Fernandes, Airton Marinho, Guilherme Wanke, Cauê Marques, Lucas Barcellos, Antonio Tadeu, Larissa Palmieri e Bruna Oliveira. Com as artes de Jader Corrêa, Braziliano, Cassio Ribeiro, Jean Sinclair, Thiago Lima, Azrael de Aguiar, Akemy Hayashi e Doc Goose. A capa incrível é assinada por Camaleão.

Compre Periferia Cyberpunk usando esse link do Central Autoria e ajude o site a se manter de pé. Obrigado. Compre o que quiser na Amazon usando qualquer um de nossos links. Obrigado mas uma vez.

Até onde o big data controla você

Não estar na internet é impossível. Seja por aplicativos de mensagens instantâneas ou redes sociais, todos a usam para o envio de informações. Mas, até onde você deixará que os algorítimos controlem sua escolha de conteúdo e consumo?

Essa pergunta pode ser bem mais complexa do que imaginamos. Mas, uma resposta simples e agradável seria: não tenha medo de experimentar coisas novas. Pense fora do que lhe é recomendado como “bom” pelos programas da Amazon, YouTube e Google. Pense menos em “bens para bons momentos” e mais em “bons momentos”.


Se você gosta de distopia, vai gostar de Os Renegados, meu primeiro livro. Distopia pós-apocalíptica que usa algo parecido ao Big Data para manipular seus cidadãos. Clique aqui para conhecer.


Esse artigo baseou suas informações no post O que é Big Data?, do site Canal Tech e também na definição do termo na Wikipedia.

No Banner to display

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e host do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Estudante contínuo de empreendedorismo e marketing digital, procuro compartilhar conhecimento através do meu trabalho.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!