Menina Boa Menina Má – filha de assassina, assassina?

Resenha Menina Boa Menina Ma livro

Menina Boa Menina Má conta a história de Annie, uma garota prestes a completar 16 anos, que vive ao lado da mãe, uma assassina de crianças. Lançado no Brasil pelo Grupo Editorial Record no início do mês passado, o livro entrega um suspense psicológico intenso e sombrio.

Lembre-se de compartilhar esse artigo com seus amigos que gostam de um bom suspense. Os botões para isso estão logo ali embaixo.

Dados técnicos do livro Menina Boa, Menina Má

Livro Menina Boa Menina Má

Filha de assassina em série, assassina em série também?

Annie é uma jovem que vai à escola todos dias – excluindo aquelas sextas em que sua mãe diz aos professores que a menina não está bem, dando a ela um dia de folga. Nada aparenta ser anormal em sua vida. Ninguém desconfiaria que sua mãe é uma assassina de crianças.

Próxima de completar 16 anos, Annie, já devastada pelos crimes da mãe, toma a coragem necessária para denunciá-la à polícia. O delegado a manda para casa com a promessa de que, naquela noite, sua mãe será presa. Annie passe o dia inteiro vivendo a angústia da expectativa e, à noite, os policiais invadem sua casa e levam sua mãe para a cadeia.

Annie se torna a testemunha-chave, a principal peça para a condenação de sua mãe no julgamento que virá após alguns dias. Filha vs mãe. A própria Annie não sabe muito bem como reagir a esse fato, mas sabe que fez o que devia fazer.

Depois de ser entregada a um abrigo, Annie é adotada por Mike, psicólogo, e sua esposa, Saskia. Junto ao pacote de adoção vem Phoebe, a filha do casal, com mais ou menos a mesma idade de Annie – que passa a se chamar Milly.

Phoebe, uma clássica adolescente norte-americana “líder de torcida revoltada”, e suas amigas se tornam fontes de bullying para Milly. Como não conhecem seu passado como a “Annie, filha da assassina”, não imaginam que estão lidando com uma pessoa volátil e emocionalmente colapsada.

Isso soma-se ao fato do julgamento da mãe se aproximar dia após dia: Milly terá de depor e tem se preparado para o momento com a ajuda do pai adotivo. Toda essa pressão se tornará um gatilho para eventos de um thriller  psicológico imersivo e gélido.

Menina Boa Menina Má foi escrito com personalidade

O livro Menina Boa Menina Má foi escrito de um modo bastante particular. A narrativa é em primeira pessoa, como se Annie estivesse contando a história para sua mãe. Mas as palavras formam expressões são curtas, como ditas por alguém que passa por um forte trauma.

A aparente “falta” de preposições, atrelada a ideias objetivas expressas, dá um tom escuro à trama. O leitor precisa prestar atenção para não confundir os pensamentos de Annie com o diálogo de algum outro personagem – o que reflete a bagunça na mente de Annie.

Menina Boa Menina Má vale muito para quem gosta de mergulhar em um thrillher psicológico. E se existisse um caso real bem parecido ao de Annie? É, infelizmente existe. É o caso de Theresa Knorr, assassina em série, que após ter matado dois de seus filhos, foi denunciada por uma filha. Essa história é sombria e se você quiser entender como e porquê aconteceu, leia post do Eixo Nerd, nosso site parceiro.

Quer conferir outros suspenses indicados aqui no blog? Confira aqui!

Sou o autor de Os Renegados, distopia pós-apocalíptica, editor do Central Autoria e locutor do Autoria Podcast. Também sou parceiro da saga de fantasia épica A Crônica Esférica. Webdesigner por formação, procuro compartilhar meus conhecimentos em Marketing Digital com outros escritores para que possamos formar juntos nossas carreiras.
0 Comentários
Deixe o seu comentário!